Menu fechado

BH: Greve dos metroviários deve permanecer até domingo, diz diretor de sindicato

Responsável diz que Sindimetro tem condições de arcar com multa que pode passar dos R$ 100 mil

O diretor do Sindicato dos Metroviários de Belo Horizonte (Sindimetro), Romeu José Machado Neto, disse à reportagem de O Tempo nesta quinta-feira (23) que a paralisação da categoria deve permanecer pelo menos até o próximo domingo (26). Segundo ele, só no final da manhã desta quinta que o sindicato foi notificado da decisão de frota mínima e de uma multa diária de R$ 30 mil por descumprimento. 

A categoria deve participar de uma audiência pública na tarde desta quinta-feira na Câmara Municipal, onde as decisões devem ser apresentadas. Para que seja declarada o fim da greve, entretanto, é necessária uma assembleia dos trabalhadores, o que não deve ocorrer nos próximos dias. “A diretoria tem que reunir primeiro, precisamos convocar, antes de sábado ou domingo, vai ser mantido o movimento. Foi a categoria que decidiu, não o sindicato, então precisa da assembleia para definir. Na assembleia a diretoria vai expor ao conteúdo da notificação, e a categoria decidir pelo cumprimento ou não. A diretoria tem que ver que dia vai ser, precisamos avisar com antecedência. Incialmente, sim, a paralisação está mantida até domingo, porque tem o feriado que atrapalha a gente a se reunir”, declarou. 

Na decisão inicial que determinou a frota mínima em determinados horários, o desembargador Fernando Luiz Gonçalves Rios Neto, estipulou a multa de R$ 30 mil, “valor que se mostra adequado diante do caráter essencial da atividade a ser atingida pela paralisação”. No final da tarde dessa quarta, entretanto, o magistrado esclareceu que o valor era por dia de descumprimento e não de forma geral. 

Questionado sobre o valor da multa, Romeu Neto disse que o sindicato vai recorrer para que o valor não seja pago. Caso, em última instância, seja condenado ao pagamento, o diretor afirmou que o sindicato tem condição de pagar os R$ 120 mil de multa aplicada entre esta quinta-feira e o próximo domingo, caso a frota mínima não seja respeitada. 

Por meio de nota, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) de Belo Horizonte afirmou que “a alegação do Sindimetro de que não foi notificado, nada mais é que uma manobra feita para se esquivar do Oficial de Justiça no cumprimento de seu dever. Inclusive, pedindo antecipadamente, liberação de seus diretores sindicais para que os mesmos não fossem encontrados nos seus postos de trabalho”, declarou. 

A companhia preferiu não se manifestar sobre a declaração do diretor do sindicato de extensão da greve.

Fonte: Portal O Tempo

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.