Menu fechado

Festa de Iemanjá 2022: veja o que pode e o que não pode no dia 2 de fevereiro

Homenagens à rainha do mar, que começou em 1923, não seguirão aos moldes tradicionais neste ano

As comemorações do 2 de fevereiro, Dia de Iemanjá, é uma das mais tradicionais do calendário de festas populares da Bahia. E por conta da pandemia da Covid-19 e o aumento da ocupação dos leitos de UTI, as homenagens não seguirão os moldes tradicionais, com a entrega de presentes e orações à Rainha do Mar no Rio Vermelho. 

Nesta quinta-feira (27), o prefeito Bruno Reis suspendeu a festa e informou uma série de restrições, que serão aplicadas na primeira semana de fevereiro. Mas, ainda assim, como prestar homenagens à Rainha do Mar?!

Pensando nisso, o iBahia fez um compilado de todas as informações divulgadas até o momento sobre a data. Confira abaixo e programe-se:

  • A praia do Rio Vermelho e toda a enseada do bairro será fechada. De acordo com o prefeito Bruno Reis, estará interditado o acesso de pessoas às praias entre o restaurante Sukiyaki e a Colônia de Pescadores Z1, a partir de zero hora do dia 1º de fevereiro até as 6h do dia 3 de fevereiro.
  • Proibição da realização de qualquer ação de emissão sonora em todo o trecho da Avenida Oceânica entre o restaurante Sukiyaki e a Vila Caramuru, a exemplo de carros de som.
  • Também nesse trecho estará vetada a atuação do comércio ambulante nas vias.
  • Os bares e restaurantes poderão atuar em horário normal, com a utilização apenas de som ambiente.
  • O trânsito estará liberado normalmente na Avenida Oceânica.
  • Já o presente de Iemanjá será levado diretamente ao mar, sem qualquer permanência na Colônia de Pescadores, para evitar aglomerações.
  • Os interessados em deixar presentes para a Iemanjá poderão entregar seus balaios ao longo de toda a orla da capital baiana. A medida é para evitar aglomerações.
  • Órgãos municipais realizarão fiscalizações durante todo o dia.


Esse é o segundo ano que a Festa de Iemanjá é cancelada. Em 2021, apenas um presente coletivo foi levado ao mar pelos pescadores e entidades religiosas. Alguns eventos e bares da região anunciaram festividades e a famosa feijoada, porém com a decisão do prefeito, não se sabe se as festas serão realizadas na região. 

Fonte: G1 Bahia

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.