Menu fechado

Mudanças nas restrições no Rio de Janeiro

A Prefeitura do Rio prorrogou até o dia 22 de março boa parte das medidas restritivas para tentar conter o avanço da Covid-19 no município.

Um decreto do prefeito Eduardo Paes publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (11), no entanto, flexibilizou parte das regras. As mudanças entram em vigor no primeiro minuto de hoje (12).

Bares e restaurantes ganharam tempo de funcionamento à noite, e quiosques e barraqueiros das praias, antes barrados, poderão voltar a atender. As atividades econômicas foram escalonadas por horário, a fim de tentar diluir o volume de passageiros no transporte público (veja o detalhamento abaixo).

O que mudou?

  • Bares, restaurantes, quiosques e afins poderão funcionar até as 21h;
  • Após esse horário, poderão atender com delivery, drive-thru e entrega rápida com retirada do produto no estabelecimento (take-away);
  • Quiosques na orla podem reabrir, agora das 10h30 às 21h;
  • Barraqueiros fixos na areia e ambulantes poderão atender até as 17h;
  • Bancas de jornais não podem vender nem expor bebidas alcoólicas.

Escalonamento das atividades econômicas

  • Serviços: das 8h às 17h;
  • Repartições públicas: das 9h às 19h;
  • Comércio (incluindo shoppings): das 10h30 às 21h.

Restrições mantidas

  • Entre 23h e 5h, será proibido permanecer em ruas, espaços públicos, praias e praças; a multa por descumprimento é de R$ 562,42 – a circulação será permitida;
  • Eventos, festas e rodas de samba também estão proibidos;
  • Não podem funcionar boates, casas de espetáculo, feiras especiais, feiras de ambulantes e feirartes (artesanato) — feiras livres, de alimentos, estão liberadas;
  • A lotação máxima de 40% também deve ser observada em todos os lugares.

Academias

Na sexta-feira (5), a Secretaria de Ordem Pública informou que academias deverão funcionar com capacidade reduzida, sem restrição de horário.

Escolas, farmácias, cultos, bancos, áreas de lazer

As atividades abaixo permanecem sem alteração:

  • escolas
  • supermercados
  • consultas médicas
  • hospitais
  • veterinários
  • farmácias
  • missas e cultos religiosos
  • hotéis, pousadas e albergues
  • agências bancárias
  • atividades esportivas
  • áreas de lazer
  • piscinas, quadras e áreas comuns em condomínios
  • cinemas
  • postos de combustíveis
  • cadeia de abastecimento e logística
  • transportes de passageiros
  • serviço de entrega em domicílio
  • trabalhadores de atividades essenciais (indústrias, profissionais de saúde)

Fiscalização

fiscalização será feita por:

  • Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop);
  • Guarda Municipal;
  • Secretaria Municipal de Saúde.

Os agentes poderão reter ou apreender mercadorias, produtos e bens, além de aplicar multas e interditar o local ou estabelecimento que descumprir as regras.

Multa

O valor máximo da multa individual passa de R$ 112,48 para R$ 562,42 para quem estiver sem máscara e aglomerado, por exemplo.

Fonte: Bom Dia Rio – G1

Conhece alguém que precisa saber dessas informações? Compartilhe clicando nos botões abaixo:

Compartilhe:

Comentários enviados

  1. Elizabete Moura da Silva

    Estou na torcida para que todas as medidas ajudem a contribuir para a estabilizar ou parar essa PANDEMIA.
    Parabéns à todos pelo esforço coletivo, para juntos possamos superar essa fase de PANDEMIA mundial e sairmos fortalecidos no final!
    Deus seja conosco 👐👐👐👐👐

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *