Menu fechado

Rodoviários fazem protestos em Salvador nesta terça-feira e deixam trânsito congestionado

Primeira manifestação aconteceu pela manhã, em frente à sede da Prefeitura Municipal de Salvador. Pela tarde, rodoviários protestam na saída da Estação da Lapa.

Rodoviários que foram dispensados com a extinção do Consórcio Salvador Norte (CSN), que operava no transporte público da capital baiana, protestam na saída da Estação da Lapa, em Salvador, na tarde desta terça-feira (1).

Diversos ônibus estão estacionados na via e a manifestação gera engarrafamento na região. Este é o segundo protesto que o grupo faz nesta terça. Durante a manhã, outra manifestação aconteceu em frente à sede da Prefeitura Municipal de Salvador.

Os trabalhadores cobram o pagamento de direitos trabalhistas e denunciam que 2.800 trabalhadores não receberam verbas de rescisão após o encerramento do vínculo trabalhista.

Com o fim do contrato entre o CSN e a prefeitura, parte dos profissionais foi admitida pelos dois consórcios em operação na cidade (OTTrans e Plataforma). No entanto, outros não foram contratados e ficaram sem receber os pagamentos que têm direito.

Segundo informações da Superintendência de Trânsito da cidade (Transalvador), a manifestação que aconteceu em frente à sede da prefeitura não impactou o trânsito. O g1 entrou em contato com a Secretaria de Mobilidade de Salvador (Semob) e aguarda um posicionamento.

No dia 18 de janeiro, os trabalhadores fizeram um protesto na Estação da Lapa, em reclamação pela mesma pauta desta terça-feira.

À época, a Semob informou que desde o primeiro momento do impasse entre os rodoviários e a empresa CSN, tem atuado para que a situação seja resolvida com brevidade. No entanto, segundo a prefeitura, o pagamento das verbas trabalhistas é de responsabilidade do CSN.

O contrato entre o Consórcio e a prefeitura de Salvador foi rescindido em 27 de março de 2021. O prefeito Bruno Reis disse que a decisão foi tomada após relatório de auditoria apontar diversas irregularidades na gestão do contrato, por parte da empresa. Segundo o chefe do Executivo, o total da dívida acumulada do CSN é de R$ 516 milhões.

Após a rescisão do contrato, os trabalhadores realizaram protestos ao longo do ano. Em novembro, a categoria organizou manifestações em dois dias seguidos para cobrar o pagamento.

No dia 2 de dezembro, um grupo fez uma passeata entre a Rótula do Abacaxi e a Avenida ACM em reivindicações pela mesma pauta. Na ocasião, a prefeitura de Salvador disse que cerca de 1.600 rodoviários já haviam sido admitidos pelas companhias e outros estavam em cursos de requalificação profissional e treinamentos.

Fonte: G1 Bahia

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.