Menu fechado

Rodoviários interditam Estação Mussurunga em mais um protesto para pagamento de acordo trabalhista

Manifestação teve início no final da manhã desta quarta-feira (28). Ônibus foram impedidos de sair do terminal e ato refletiu em congestionamento na Avenida Paralela.

Um grupo de rodoviários interditou a saída de ônibus da Estação Mussurunga, em Salvador, no final da manhã desta quarta-feira (28), em mais um dia de protesto por causa do não pagamento de direitos trabalhistas a funcionários demitidos da antiga Concessionária Salvador Norte (CSN).

Segundo informações da Superintendência de Trânsito da cidade (Transalvador), um ônibus foi parado em um dos acessos da estação, e impediu que outros veículos saíssem do local.

Agentes do órgão foram enviados para tentar ordenar o tráfego, porque o bloqueio no terminal de ônibus chegou a refletir na Avenida Paralela. O fluxo na via, sentido centro, ficou congestionado.

Uma equipe da 49ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) também foi deslocada para a Estação Mussurunga. A corporação informou que precisou impedir provisoriamente a entrada de ônibus no terminal para evitar que outros coletivos fossem impedidos de trafegar. Com isso, os passageiros tiveram que desembarcar e tomar os ônibus do lado de fora da estação.

Ainda segundo a polícia, os manifestantes esvaziaram os pneus do ônibus parado na saída da Estação Mussurunga. Por volta das 13h o acesso ao terminal foi desbloqueado e transporte foi retomado normalmente.

Durante a manhã, a categoria realizou outra manifestação em Salvador, em frente ao Fórum Ruy Barbosa, no Campo da Pólvora. Os trabalhadores cobram da Justiça celeridade para a concessão de uma certidão de transitado em julgado referente ao acordo para o pagamento dos direitos trabalhistas.

“Tudo que parte desse processo, nada foi recebido. O que falta é uma certidão de transitado em julgado pela Justiça comum. Esse processo já correu no TRT. E a gente pede encarecidamente à Justiça comum que dê essa certidão para que a prefeitura possa pagar aos trabalhadores”, disse Fábio Primo, vice-presidente do Sindicato dos Rododiários.

O documento já foi emitido pelo Tribunal Regional do Trabalho, mas a Justiça comum ainda não emitiu o certificado. E somente após a confirmação de transitado em julgado pela Justiça comum o valor poderá ser disponibilizado pela gestão municipal para o pagamento dos trabalhadores.

Na terça-feira (27), os trabalhadores realizaram uma manifestação nas imediações da Estação da Lapa e também bloquearam o acesso ao terminal.

Os rodoviários pedem o pagamento de verbas indenizatórias aos 1.118 funcionários que foram dispensados após a extinção da empresa, e que não receberam os direitos trabalhistas.

Fonte: G1 Bahia

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *