Menu fechado

[Salvador] Um ano após despedida do trem, obras do VTL de Salvador estão atrasadas

Depois de mais de 160 anos em operação, trens saíram de cena para execução de obras do VLT, mais moderno. Trabalhos no outro modal, o BRT, tbm estão em atraso.

Os trens que ligavam o subúrbio de Salvador à estação da Calçada completaram um ano sem funcionar. As obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), transporte que substituirá a opção, estão atrasadas.

Depois de mais de 160 anos em operação, o serviço saiu de cena para execução de obras do VLT, mais moderno.

As obras do VLT ficam a cargo da Cia de Transporte da Bahia. A concessionária chinesa Skyrail é a empresa que executa o projeto.

O VLT percorrera 24 km de extensão de Ilha de São João, em Simões Filho, cidade da região metropolitana de Salvador, até o entroncamento do metrô na Rótula do Abacaxi. A obra segue no que será o pátio de manutenção dos veículos na antiga Estação da Calçada.

A área foi terraplanada, tem prédios já construídos e outros sendo erguidos. A subestação de energia acabou de receber transformadores, mas ainda não funciona.

A entrega da primeira etapa de 4,5 quilômetros a partir da Calçada, que seria entregue no fim deste ano, não terá o prazo cumprido, segundo o presidente da Companhia de Transportes da Bahia (CTB), Eduardo Copello.

“São obras complexas, de grande porte como essa, está sujeita sempre a alguma situação. Nesse caso da implantação do VLT, nós tivemos os efeitos da pandemia, algumas outras situações e as obras seguem com um prazo de 32 meses aproximadamente”, disse Eduardo Copello.

Ainda de acordo com a CTB, as 450 casas ao longo dos 24 km do VLT que vão ser desapropriadas conforme o projeto também tiveram o processo atrasado por causa da pandemia.

Atraso nas obras do BRT

Outro projeto de transporte da cidade também sofre atrasos com as chuvas e o coronavirus. O BRT ou ônibus de trânsito rápido, com faixas exclusivas vai interligar as regiões do Iguatemi, Parque da Cidade e Lapa.

O serviço foi dividido em três etapas:

  • O trecho 1 que vai da região do Iguatemi ao Parque da Cidade onde a parte viária está pronta;
  • A etapa 2 que vai do Parque da Cidade até Estação da Lapa com previsão de ficar pronta no começo do 2° semestre do ano que vem;
  • A etapa 3 do Parque da Cidade até a Pituba.

A previsão é que obras fiquem prontas em julho deste ano. E logo em seguidas os veículos comecem a rodar nas faixas exclusivas. É esta parte da obra que está ainda em execução na Avenida ACM.

A previsão é que ele já estaria prestes a ser entregue. Quem usa ônibus espera e reclama.

De acordo com a Secretaria de Mobilidade, a obra vai atrasar em pelo menos quatro meses.

“Tão logo a etapa 3 seja entregue, a previsão da prefeitura é que, em ato contínuo, a gente comece a rodar já no segundo semestre, as primeiras linhas do BRT. Nesse primeiro momento, são duas linhas circulares, que farão o trajeto da região do Iguatemi até a Pituba”, disse o gestor da pasta da Mobilidade, Fabrizzio Muller.

Fonte: G1 Salvador

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.